Ficha Técnica

A equipa do projeto Diamang Digital conta com os seguintes elementos:

Nuno Porto

CV Nuno Porto

Doutor em Antropologia Social e Cultural pela Universidade de Coimbra (UC), tendo realizado a sua investigação doutoral sobre o Museu do Dundo, Diamang, Angola. 

Foi Professor Auxiliar no Departamento de Ciências da Vida (Antropologia) da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra. Coordenadou o Mestrado em Antropologia Social e Cultural da Universidade de Coimbra, e foi também docente nas licenciaturas em Antropologia, Design e Multimédia, (FCTUC), Turismo, Lazer e Património (FLUC), bem como no Mestrado em Design e Multimédia e no curso de doutoramento sobre Patrimónios de Influência Portuguesa. Colaborou com a Comissão para a reabertura do Museu do Dundo, em Angola.

É investigador do Centro em Rede de Investigação em Antropologia (CRIA), Curator for Africa and Latin America no Museum of Anthropology, e Associate member do Department of Art HistoryVisual Art & Theory, na University of British Columbia, Canadá. 

Tem publicado sobre fotografia, museologia crítica, arte contemporânea, património e cultura material, sobretudo em contextos africanos.

Desde de 2008, que coordena o Projeto Diamang Digital.

 

Cristina Sá Valentim

CV Cristina Sá Valentim

Licenciada em Antropologia pela Universidade de Coimbra, desde 2002. Em 2009 obteve, na mesma instituição, o grau de mestre em Antropologia Social e Cultural.

É doutoranda em Sociologia com uma Bolsa de Doutoramento da Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT-Concurso Nacional de bolsas) no programa doutoral Pós-Colonialismos e Cidadania Global, no Centro de Estudos Sociais (CES) da Universidade de Coimbra. Investiga sobre as questões culturais, identitárias e políticas em redor do idioma colonial de 'folclore musical nativo' na Lunda colonial, no contexto da Diamang, tendo realizado trabalho de campo em Portugal e em Angola.

As suas áreas de investigação têm vindo a centrar-se em questões de agency, diferenciação social, subjetividade, reconfiguração identitária, cultura e poder. No seguimento dessas linhas de investigação realizou dois estudos de caso: o primeiro, no âmbito da licenciatura, onde abordou mecanismos identitários na prática do voluntariado hospitalar; e o segundo, como dissertação de mestrado, onde analisou os usos da língua portuguesa por dois imigrantes não falantes de português e sua relação nos processos de integração e diferenciação social.

É investigadora colaboradora do Centro em Rede de Investigação em Antropologia (CRIA) e colaboradora no Grupo Autónomo de Investigação em Estudos Pós-Coloniais (GAIEPC).

De 2008 a 2012 foi investigadora no Projeto Diamang Digital. Assumiu as funções de inventariação, classificação, digitalização e de gestão em base de dados dos materiais documentais e fotográficos.

Atualmente é responsável pela administração do Projeto Diamang Digital.

 

Tânia Madureira

CV Tânia Madureira

Licenciada em Antropologia pela Universidade de Coimbra desde 2007 e mestre em Antropologia Social e Cultural pela mesma instituição em 2012.

É bolseira da Fundação para a Ciência e a Tecnologia no Museu da Ciência da Universidade de Coimbra. Desenvolve atividades de tratamento da informação associada ao inventário das coleções de Antropologia, envolvendo investigação documental e científica, para a sua gestão museológica e disponibilização pública.

As suas principais áreas de interesse e investigação centram-se no património, cultura material, tradição, políticas identitárias e museologia, com enfoque nas práticas e nos processos de representação, significação e negociação de valores sociais e culturais. No âmbito destas, realizou trabalho de campo no Baixo Alentejo (localidade Mina de são Domingos, Mértola), no Algarve (na área da barragem de Odelouca, concelhos de Silves e Monchique) e em Cabo Verde (na localidade de Trás di Munti, Tarrafal, ilha de Santiago).  

É investigadora colaboradora do Centro em Rede de Investigação em Antropologia (CRIA).

De 2008 a 2012 foi investigadora no Projeto Diamang Digital. Assumiu as funções de inventariação, classificação, digitalização e de gestão em base de dados dos materiais documentais e fotográficos.

 

Luis Serrano

Licenciado em Estudos Artísticos na variante de Música pela Universidade Coimbra em 2007. Mestrando da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra na mesma área.

Desenvolve atividade musical enquanto músico desde 2006 e prepara para defesa de dissertação de mestrado um relatório detalhado sobre a digitalização e restauro que desenvolveu no Projeto Diamang Digital.

De 2009 a 2010 foi bolseiro de investigação da FCTUC, tendo sido o responsável pela inventariação, tratamento e digitalização dos materiais do arquivo sonoro da Diamang, no Projeto Diamang Digital.

 

André Granjo

Licenciado em Antropologia pela Universidade de Coimbra desde 1999 e mestre em Direcção de Orquestra, na variante de Orquestra de Sopros, na uid-Nederland Hoogeschool fur Muziek em Maastricht (Holanda) a partir de 2005.

É doutorando na Universidade de Coimbra sob orientação dos Professores José Maria Cardoso e Christopher Bochmann.

É maestro, desde 1994, da Orquestra de Câmara da Tuna Académica da Universidade de Coimbra (TAUC) e da Banda da União Filarmónica do Troviscal, que dirige desde 2001. Desenvolve trabalho prático de direcção no Royal Northern College of Music, com a colaboração de Mark Heron e Clark Rundell, e com Eugene Migliaro Corporon na North Texas University, onde detém desde Março de 2009 um lugar de “Visiting Scholar” no departamento de Wind Music Studies. 

É docente no Mestrado de Direcção de Orquestra de Sopros dos Institutos Piaget de Almada e Viseu. Integra o Instituto de Etnomusicologia – Centro de Estudos de Música e Dança.  

De 2008 a 2010 atuou como consultor nos trabalhos de digitalização do arquivo sonoro da Diamang, no Projeto Diamang Digital.


 

Patrocínio

  • Fundação ESCOM

Parceiros Institucionais

  • Universidade de Coimbra
  • Centro em Rede de Investigação em Antropologia
  • Museu do Dundo